Sexta-feira, 7 de Setembro de 2007

Tic Tac... Tic Tac...

Hoje ao jantar o meu petiz conta-me uma história de uma ex-namorada que queria ter filhos e tal, quando eles estavam juntos. Dizia que o relógio biológico estava em contagem decrescente e tic-tac, tic-tac...

Atendendo a que o meu petiz é mesmo um petiz e que a ex-namorada teria andado na faculdade com ele, assumi que fosse de tenra idade, o que torna a situação ainda mais bizarra. Será que os relógios biológicos começam a dar um arzinho da sua graça aos 23 anos? Ou serão gases?? Inclino-me mais para os gases, confesso...!

As miúdas de hoje bebem muita coca-cola – essa água suja do imperialismo americano! – ficam com muita flatulência e depois pensam que é vontade de ter filhos!

Confesso que esta conversa me faz confusão e embora nunca tenha sentido nem ouvido essa máquina de precisão dentro de mim, estou fartinha de ouvir histórias semelhantes. Mas que raio será esta história do relógio, que só eu é que não sinto? Chego depois à conclusão que se calhar não estou sozinha neste campo. A diferença é que não preciso de dizer estas coisas para parecer mais sensível, menos egoísta ou mais nobre de sentimentos.

Utilizar-se a ideia da maternidade como camuflagem para outro tipo de falhas causa-me náuseas. Ser politicamente correcta com um assunto tão delicado, é coisa que não me assiste e dizer que quero ser mãe só porque fica bem aos olhos do respectivo, muito menos!

Por isso, aconselho a beberem bebidas com menos gás, porque para além da flatulência que provoca, que já de si é desagradável, poderão ser o motivo de algumas flutuações cerebrais.

TNT
publicado por TNT às 00:18
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Hailstorm a 7 de Setembro de 2007 às 14:11
Se a bebida que imortalizou o vermelho na farpela do Pai natal causa flatulência em certas criaturas, não sei?
Mas que os frutos da flora intestinal de uma cria, se farão mostrar nas fraldas da mesma, é óbvio que sim...com ou sem refrigerantes gaseificados...
A leviandade com que se fala de um filho choca-me...
Não consigo assimilar uma ideia que tem como moeda de troca um ser humano.
Nessas cabecinhas de mariposa, um filho serve para:
-Salvar um casamento;
-Salvar uma relação;
-Salvar da monotonia e do tédio;
-Resgatar uma relação perdida;
-Mostrar maturidade;
-etc, etc...
Não entrando em grandes figurações, penso que estes pontos acima descritos morrem á partida pela sua futilidade e falta de conhecimento de causa.
Penso que esses gases refrigerados não danificam só o corpo, a mente também se deixa contaminar por um eterea forma de pensamento, em que os olhos da criatura são iludidos ao ponto de pensar que todos os bebés são como o da Barbie, e nem dão muito trabalho...só o suficiente.
O pior é quando tudo vai pelo cano, e alem da bagagem ser pesada, a falta de argumentos para enfrentar os dias que correm, isso sim é de dar a volta ao transito intestinal.
Tic-tac, tic-tac, tic................
De TNT a 7 de Setembro de 2007 às 15:15
Não podia estar mais de acordo!
De Babe a 7 de Setembro de 2007 às 15:25
Admito que ainda não me imagino com filhos e não me parece que venha a desejá-los tão cedo. O meu mais recente "amigo" é mais velho uns anitos e sempre disse que não queria filhos o que me soa lindamente.

No entanto, essa coisa de querer assentar cedo deixa-me um pouco aparvalhada. Contou-me ele que a última ex ao fim de 2 meses de namoro já fazia grandes planos de futuro, já pensava vender o apartamento dela, para comprarem casa juntos. A moçoila tinha 30 ou 31 anos.

Não foi a idade dela que me chocou, mas o tempo de relação e os planos tão precoces!

Só sei que com 26 anos, casar e ter filhos parece-me tão distante como há 10 anos atrás.

Agora, é um facto que há raparigas que parecem ter nascido apenas para isso: casa, marido e prole. O teu petiz é que não estava para os ajustes na altura!
De TNT a 7 de Setembro de 2007 às 15:47
Esta conversa do relógio biológico cheira-me a tanga que ferve! O apelo emergente da maternidade é aparentemente mais frequente nas relações medianas, monótonas, rotineiras e insípidas.
É muitas vezes encarado como moeda de troca como refere o Hailstorm no seu comentário...
2 meses de namoro, casar e ter filhos?! Chiça! Essa de que falas tinha 30 ou 31, esta de que falo tinha 22 ou 23.
Acho que querem ir buscar emoção aos locais errados! Vão mas é fazer bundgee jumping e deixem os filhos para depois. Com responsabilidade, maturidade, estabilidade, constância, desprendimento e muito amor...
De Anikin a 17 de Setembro de 2007 às 00:39
Caríssima TNT, ela há de tudo.

Conheço ou conheci:
- Mulheres que sempre quiseram ser mães;
- Homens que sempre gostaram de ser pais;
- Casais que quiseram ser pais cedo e tratam os filhos como um frete;
- Casais que "lá se resolveram" bem tarde e que adoram.

Eu "resolvi-me" tarde e adoro!

Entre os genes e a educação, vê-se de tudo.

O facto é que em muitas das famílias que se mudaram para cidades grandes e que perderam o tradicional convívio da "família extendida", a malta não sabe o que é ser pai.

Quem crescia nas famílias ditas tradicionais, mais numerosas e em que havia mais convívio com a maioria da "família extendida", sabia bem melhor o que é um bébé e quais são as alegrias e preocupações de ter um filho. E por aí, sabia muito melhor se (e quando) queria ou não um.

Hoje há muitas (geralmente más) teorias e poucos sabem muito bem o que querem até ser tarde demais...
De cigana a 8 de Setembro de 2007 às 00:59
Tal como já te disse, nem toda a gente ouve o tal tic-tac precisamente porque nem toda a gente deseja ser mãe, e ainda bem. Ter a sinceridade de assumir isso e não ceder a pressões é que é difícil.
Mas de todo o modo, aos 23 anos, a menos que o relógio biológico estivesse muito desafinado, não lhe ocorreria outro método para seduzir o "petiz" a não ser mostrar-se ansiosa por lhe assegurar a descendência?
De TNT a 8 de Setembro de 2007 às 05:24

Conheço bastantes com que essa estratégia funcionaria na perfeição.
Felizmente, ainda há excepções...!
De Anikin a 19 de Setembro de 2007 às 02:44
A sério?

Sempre achei que essa era a melhor forma de assustar um homem...
...e em tempos até passei por isso!
De TNT a 19 de Setembro de 2007 às 12:17
Os homens pelam-se por deixar descedência. E se há um fêmea que se propõe a ser o veículo dessa façanha, muitos homens ficam babados!

Comentar post

.outros blogs da menina

. Interno Feminino

. Experimentámos

.pesquisar

 

.posts recentes

. 25 de Abril de 2012

. Petição "Impedir a Taxaçã...

. A Arte da Guerra

. Atenção lagartagem!

. Olhá boliiiinha!

. A propósito de redes soci...

. Thursday bloody Thursday

. Ensitel assim a dar para ...

. O enrabanço da EDP

. As crises

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.arquivos

. Abril 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Julho 2011

. Abril 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

.visitas


.subscrever feeds